sábado, 23 de novembro de 2013

Ela disse a(té dezembro)deus

Até a data da viagem eu ainda estava em dúvida se iria ou não, pelas provas, trabalhos etc... Fui. Durante a ida, tive a brilhante ideia de ligar pro meu pai. Não me arrependi. Eu precisava da grosseria, da humilhação, das mentiras. Só assim eu pude ter certeza de que não dá. Não dá pra sentir falta, porque sinto falta de algo que não existe mais (a relação da infância com uma pessoa idealizada). E assim começou a saga da tarja preta com cachaça.

Levantamento de Ouro Preto:
2 caixas de rivotril ingeridas
Grande contribuição para ingerir 6 litros de cachaça em 4 dias
6h de sono nesse intervalo de tempo
2kg a menos
2 caixas de Franol adquiridas
Não lembro de mais nada

Dieta da ressaca: -2kg em 4 dias e 3 noites. Recomenda-se subir ladeiras.

Eu não lembro de ter conseguido me desligar da minha rotina por tanto tempo. Também não lembro de ter ficado tão angustiada como na volta. Pois bem, deixei minha diversão lá.

Agora, estou lidando com minhas frustrações por não conseguir sucesso em nada ao tentar fazer tudo ao mesmo tempo. Finalmente disse à psicóloga que não dá mais e pretendo voltar lá somente para entregar o papel do depósito no banco. Chorei muito, porque tentei. Eu sei que tentei, mas não deu. Não tenho mais conserto e lidar com os fatos não ajuda, só piora. Terei tempo livre...
Talvez até mais do que uma simples quinta-feira à tarde. Furtaram meu celular dentro da igreja em que faço trabalho voluntário pela universidade. Eu tava tão dopada que nem chorei. Quando tirei tudo da bolsa pela terceira vez e vi que realmente haviam me furtado dentro da área de funcionários, tomei mais remédios. Cheguei em casa, pedi desculpas e acendi um cigarro... na frente da minha mãe. Só faltava ter tirado a blusa e mostrado a tatuagem.

Acho que sairei do projeto de extensão. E ganharei mais duas tardes livres.

Mais uma vez, eu tentei. Tentei consertar as coisas, correr atrás, ter alguma experiência no currículo (com um trabalho voluntário). Mexeram na minha bolsa na área de circulação dos funcionários, sabe? Eu não ligo de gastar dinheiro de passagem, gastar duas tardes, lidar com gente não tão educada... Mas ser furtada por funcionários da própria igreja já é um pouco demais. Estou muito sem saco pra ser alocada em outra igreja, estudar uma terceira vez pra fazer as mediações. Mais uma vez eu me coloco na posição de vítima das circunstâncias e acho que tudo é mais complicado quando é pra mim.

É como se eu tivesse uma lente em frente aos olhos que só me permitisse enxergar o lado negativo de cada coisa.


4 comentários:

  1. Em seu lugar eu não permitiria que essas pessoas-obstáculo me atrapalhassem, eles fizeram com que mais uma vez você desistisse. Mas se você sentir que é melhor assim, tenha certeza de abrir seus olhos para as oportunidades que surgirão - sim, elas vão aparecer - e aí não vai deixar que ninguém te estrague, nem você mesma.

    ResponderExcluir
  2. Eu não tinha visto no teu fb, não tenho prestado muita atenção nas coisas que rolam por lá, sempre achei que ladrão tinha que ter a sensibilidade de não afanar esse tipo de coisa.
    Teu desanimo é compreensível, mas a vida continua né gata.
    [isso é brega mas] Cara, 2014 esta batendo na porta, coloca tuas apostas nele, algo de bom tem que vir, é justo que venha.
    E mesmo que não volte ao normal minha relação com o blogger, eu tô aqui.

    ResponderExcluir
  3. Olá Linda!
    A vida sempre pregando peças, né?, sempre nos dando motivos para desistir, eu confesso que já desistir de muita coisa por me sentir sem forças pra lutar e muitas vezes me sinto inútil e miserável, mas te digo uma coisa se você tem algum motivo pra lutar mesmo que for um motivo bem pequeno, lute, tente quantas vezes for preciso que no final tudo vai dar certo e toda dor terá valido a pena (estou tentando agir assim), "todos caem, mais só os fracos continuam no chão". Tenta se lembrar disso e viva um dia após o outro não crie tantas expectativas e tudo dará certo, tenha fé em si mesma.
    Stay Strong!

    xoxo

    ResponderExcluir
  4. Flor essa dose nao te fará bem como eu queria te abraçar agora...
    :(
    Estarei aqui quando precisar...Já deve ter ouvido isso de tantas pessoas que deve tar pensando há tá...
    Conta comigo borboleta... afinal dopada ou não eu me sinto largada, e talvez a anestesia da vida me fizesse bem odio do mundo cruel... não queria te ver passar por isso ...

    ResponderExcluir